Álcool + Antidepressivo: 3 importantes riscos que você pode estar correndo!

23 Flares Filament.io 23 Flares ×

Um belo dia de manhã você decidi viajar para o litoral com sua família. Curtir aquela praia que não sai do seu pensamento. E seu carro, um veículo confortável motor potente, acaba de passar por uma revisão e a orientação do seu mecânico é que,  se você quiser manter esse motor em boas condições  abasteça somente com “GASOLINA PREMIUM” (ótima qualidade) .

Num certo trecho, você percebe que o ponteiro do combustível esta chegando na reserva. Chega ao posto e é informado que só tem “Etanol comum”.

E agora? Devo arriscar e colocar alguns litros do Etanol e comprometer o desempenho do veículo ou abastecer no próximo posto com o combustível original do veiculo, a Gasolina?

É! Assim pode acontecer com as pessoas que fazem uso de antidepressivos no tratamento da depressão. As vezes uma rota diferente (Churrasco, festinha, etc) pode ser a “faísca” para o inicio de uma grande combustão (álcool + medicamento).

vodka-remedios

O consumo de álcool pode deixar você mais deprimido ou ansioso. Beber pode neutralizar os benefícios de sua medicação, tornando os sintomas mais difíceis de ser tratado. O álcool pode provocar uma melhora no humor num curto prazo, mas o seu efeito “geral” aumenta os sintomas de depressão e ansiedade.

A falta de informação leva ao desinteresse, e dessa forma muitas pessoas ignoram os perigos que podem ser fatais a saúde.

Nesse artigo você vai compreender três importantes processos que podem causar danos a saúde, quando se administra ou ingere álcool + Antidepressivos.

????????????????????????????????????????

#1º RISCO – Aumento da Pressão Arterial.

Você pode estar correndo um grande risco, se você faz uso de antidepressivos conhecidos como “inibidores da MAO” associado ao álcool. Os IMAOs quando combinado com certos tipos de bebidas alcoólicas e alimentos, podem causar um aumento da pressão arterial. Se você tomar um IMAO, certifique-se que você sabe o que é seguro para comer e beber, e que bebidas alcoólicas podem causar uma reação.

Exemplos nomes de alguns IMAOS são TRANILCIPROMINA (Parnate, Stelapar), MOCLOBEMIDA(Aurorix), SELEGILINA(Elepril, Jumexil).

 #2° RISCO – Diminui Coordenação Motora.

Seu pensamento e/o estado de alerta pode ser comprometidos. A combinação de antidepressivos e álcool irá afetar a sua coordenação e o tempo de reação (habilidades motoras) mais do que se tivesse ingerido o álcool sozinho.

Algumas combinações podem deixar você sonolento. Isso pode prejudicar a sua capacidade de conduzir ou realizar outras tarefas que exigem foco e atenção.

Alguns antidepressivos causam sedação e sonolência, efeito semelhante ao do álcool. Quando ingeridos simultaneamente, o efeito combinado pode ser intensificado.

Isso significa, se você tiver que utilizar alguns desses recursos (Coordenação motora), seja no volante, no manuseio de um equipamento e/ou outras atividades, possivelmente estarão comprometidos e poderá ocorrer um grave acidente.

# 3° RISCO – Mudança de Humor.

O uso do antidepressivo e outros medicamentos não devem ser interrompidos para que você possa beber. A maioria dos antidepressivos necessitam uma dose adequada, diária para manter os níveis de concentração plasmática para promover o efeito esperado. Parando e iniciando novamente a tomada desses fármacos (antidepressivos), pode ser possível que os sintomas da depressão piorem num curto período de tempo, ocorrendo alterações no estado de humor do paciente e levando o mesmo a parar com a medicação.

Os efeitos colaterais podem ser potencializados se você ainda associar um outro fármaco. De uma maneira quase que geral, o álcool interage com muitos medicamentos de diversas classes farmacológicas. Os efeitos secundários podem agravar-se se você associar um, dois ou mais medicamentos junto com um antidepressivo.

Então fica a dica, procure sempre um Médico ou Farmacêutico e esclareça suas duvidas.

FONTE

MAYO CLINIC

E se você gostou desse artigo, deixe seu comentário com sugestões para próximos conteúdos ou alguma dúvida que você tem. E se conhece alguém que precisa dessa informação, compartilhe nas redes sociais. Dessa formar vamos ajudar mais e mais pessoas.

Receba as melhores dicas para melhorar sua qualidade de vida.

Fernando Muterle

Olá, eu sou Fernando Muterle – professor Universitário e também Fundador do “IMCF” . O IMCF foi criado com o objetivo de promover o Networking entre profissionais, estudantes e interessados, com temas pertinentes a saúde e qualidade de vida. Participe, assista as entrevistas e registre a sua opinião.

Website: http://imcf.com.br

5 Comentários

  1. Lawrence Carlos Wolke Calhelha

    Olá! Gostei deste artigo, de fácil leitura e compreensão. Será muito útil em meu serviço, pois vem agregar informação.

  2. Romilda Venancio.

    Muito bom. Pena que as coisas serias não são levadas a serio por 99,99% das pessoas. Informações como essa é muito importante. Vou Compartilhar no
    FACEBOOK.

  3. Claudio Domingos Nunes da Silva

    Bom dia. Eu sou um dos que comete o erro de parar de tomar o remédio para poder tomar uma cervejinha com os amigos no fds ou na sexta feira. Sinto que a depressão piora durante a semana. Eu só não tomo o remédio nos dias que vou beber, porquee geralmente tomo o remédio a noite e é justamente nos horários que bebo alguma coisa. Confesso que parar de beber é bem difícil para mim. Por isso, a duvida é, se eu trocar de remédio e começar a tomar pela manhã ao invés de tomar a noite. Posso dar essa “escapada” esporádica para beber de fds? Tomando o medicamento de manhã e a cervejinha no final do dia? Agradeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *